Seminários promovidos pela Semace orientam produtores em Iguatu

Cadastramento Ambiental Rurais do Ceará (CAR). O evento será no auditório da Coordenadoria Regional de Educação (Crede)

Iguatu. Começa, nesta terça-feira, por esta cidade, na região Centro-Sul do Ceará, o primeiro de 12 seminários que a Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) realizará, em todo o Estado, para divulgar o Cadastramento Ambiental Rurais do Ceará (CAR). O evento será no auditório da Coordenadoria Regional de Educação (Crede) 16, a partir das 8h. A ideia dos seminários é mobilizar para levar o pequeno proprietário até o posto de atendimento da região.Leia Mais: Ibama aplica R$ 334 mil em multas por crimes ambientais

O cadastramento deve ser feito pela internet e é obrigatório para todos os proprietários rurais. Será facilitado a 166.307 pequenos proprietários (de até quatro módulos rurais) de 109 municípios georreferenciados pelo Instituto do Desenvolvimento Agrário do Ceará (Idace).

As informações serão colocadas na plataforma do CAR por pessoal treinado, sem a cobrança de taxa, em 11 bases fixas: Brejo Santo, Crato, Quixeramobim, Crateús, Tauá, Beberibe, Limoeiro do Norte, Iguatu, Sobral, Canindé e Itapipoca.

A partir do dia 15, as equipes começam o atendimento para elaborar o CAR, após a realização de todos os seminários. “Os agricultores já estarão esclarecidos sobre a necessidade e importância do cadastro”, pontuou a coordenadora do CAR, no Ceará, Tereza Farias.

Iguatu vai atender às cidades de Baixio, Cedro, Icó, Umari, Ipaumirim e Lavras da Mangabeira. Uma equipe itinerante visitará localidades mais distantes dos pontos de atendimento. O CAR é um projeto do governo federal, previsto pelo Código Florestal. No Ceará, é executado pela Semace, por meio de empresa especializada, com apoio do Fundo Amazônia e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Base de dados

O CAR é uma base de dados que poderá ser consultada pelo Estado, mercado e sociedade para a tomada de decisões. O declarante informa a área do imóvel, a localização e a cobertura do solo (vegetação, plantios, imóveis). Declara também a ocorrência de área consolidada, de servidão administrativa, de preservação permanente ou de uso restrito e de reserva legal.

“O não cadastramento das informações tira do proprietário o direito de participar dos programas governamentais de apoio à produção, inclusive de operações de crédito subsidiado”, explica a coordenadora do CAR no Ceará, Tereza Farias.

Fonte: DN

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores

%d blogueiros gostam disto: