Em Daca, Papa agradece a Bangladesh por acolher rohingyas

Mais de 600 mil refugiados da minoria muçulmana fugiram da perseguição em Mianmar; Papa vai se encontrar com representantes da etnia.

Fora do território budista de Mianmar, o Papa Francisco também não usou o nome do povo rohingya, mas falou diretamente sobre a crise.

No discurso em Daca, megalópole de 16 milhões de habitantes, Francisco agradeceu à Bangladesh, que acolheu mais de 600 mil refugiados rohingya, a minoria muçulmana que foge da perseguição no país vizinho.

Leia Mais: Papa: Mianmar tem de superar o ódio

“É preciso que a comunidade internacional tome medidas eficazes. Nenhum de nós pode deixar de estar consciente da gravidade da situação e do imenso sofrimento humano”, disse o Papa.

Francisco falou da generosidade e do impulso humanitário com os quais Bangladesh, país islâmico, ajuda os refugiados em massa do estado de Rakhine, Mianmar.

Na sexta-feira (1º), no encontro com representantes do povo rohingya, o Papa Francisco deve ouvir pessoalmente relatos dessa perseguição em um dos momentos mais fortes da viagem.

Leia Mais: Centenas de veículos participam de carreata de Nossa Senhora da Conceição em Guassussê

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores

%d blogueiros gostam disto: