Acusados de matar Dandara vão a júri

O crime aconteceu no dia 15 de fevereiro deste ano, mas só atraiu as atenções da Polícia alguns dias depois, quando um vídeo viralizou nas redes sociais.

Um linchamento cruel contra uma travesti, que repercutiu nacional e internacionalmente, começa a tomar rumos decisivos. Cinco acusados de matar Dandara dos Santos, de 42 anos de idade, no dia 15 de fevereiro deste ano, foram pronunciados, ontem, pela juíza e irão a júri popular, na 1ª Vara do Júri de Fortaleza em data a ser marcada.

Os réus

Os réus Francisco José Monteiro de Oliveira Júnior, Jean Victor da Silva Oliveira, Rafael Alves da Silva Paiva, Júlio Cesar Braga da Costa e Isaías da Silva Camurça serão julgados pelos crimes de homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, crueldade e recurso que impossibilitou a defesa da vítima) e corrupção de menores. As defesas dos cinco réus haviam pedido a impronúncia e alegado que os clientes não tinham cometido o homicídio.

No entanto, na decisão, a juíza Danielle Pontes de Arruda Pinheiro afirma que “o próprio vídeo acostado aos autos, demonstra, ao meu sentir, indícios suficientes de autoria”. A magistrada disse ainda que os acusados devem permanecer presos pois “a liberdade dos pronunciados representa risco à ordem pública”, destacou.

A investigação da Polícia Civil identificou o total de 12 suspeitos (sendo oito adultos e quatro adolescentes) de participarem do assassinato de Dandara dos Santos. O crime aconteceu no dia 15 de fevereiro deste ano, mas só atraiu as atenções da Polícia alguns dias depois, quando um vídeo da travesti sendo linchada viralizou nas redes sociais, um mês depois. Dandara foi vítima de pedradas, chutes, socos e tiros de arma de fogo.

Os adulto foram denunciados

Os oito adultos já foram denunciados pelos crimes pelo promotor Marcus Renan Palácio. Entretanto, dois deles, Jonatha Willyan Sousa da Silva e Francisco Wellington Teles, nunca foram encontrados pela Polícia e seguem foragidos. A pronúncia de apenas cinco dos seis réus detidos se deu porque Francisco Gabriel Campos dos Reis foi preso somente no mês de setembro, por outro crime. Ele foi detido pela Polícia Militar na posse de uma arma de fogo, em Quixadá.

Já os quatro adolescentes identificados através do vídeo foram apreendidos pela Polícia e estão respondendo a atos infracionais análogos ao crimes de homicídio quadruplamente qualificado, organização criminosa e porte ilegal de arma de fogo. (Fonte: DN)

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores

%d blogueiros gostam disto: